segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Livro: Os Segredos do Vaticano

Autor: Bernard Lecomte

Editora: ASA

Leitor: Marco Alves

Nº 17

12ºC

Resumo:

Este livro chamou-me à atenção, pelo facto de a capa do mesmo, já por si desvendar um pouco do que o seu conteúdo esconde. Pelo facto de os casos mais graves da Igreja serem “abafados” pelo Vaticano na sua sala mais bem guardada que tem como nome Santo Ofício. Tal como em toda a sua história, a Igreja sempre foi escondendo acontecimentos, que seriam importantes para a sociedade mas que muitas das vezes podiam deixar a igreja numa situação má perante a mesma.

Em especial, este livro fala das questões mais importantes depois da Segunda Guerra Mundial, este fala, já em plena guerra, do envolvimento do Papa no caso dos soviéticos e do facto de estas não terem sido condenados pela Igreja depois de terem matado milhões e milhões de pessoas inocentes, fala também quando em mil novecentos e sessenta e oito o Papa esteve quase a anunciar a sua concordância com o uso da pílula como método contraceptivo, dos temas mais interessantes está o da Máfia Búlgara e o seu envolvimento com o atentado que o Papa João Paulo II sofreu em mil novecentos e oitenta e um e também do, para mim, o mais interessante de todos é o aparecimento da imagem de nossa Senhora de Fátima aos três pastorinhos. Esta ao aparecer aos mesmos disse-lhes três segredos, pedindo aos quais que em circunstância alguma revelassem o terceiro segredo que lhes tinha sido transcrito, sendo o primeiro segredo a visão do inferno sendo transcrito como um mar de fogo para onde vão as almas dos pobres pecadores, o segundo segredo era o facto de nossa senhora querer que o pontificado de Pio XI deixasse de ofender a alma e o sangue de Deus e para se redimir deveria criar a devoção pelo Imaculado Coração da Virgem, sendo os principais alvos o próprio Papa e a Rússia que se teria afastado demasiado da sua devoção por Deus. O terceiro segredo nunca foi revelado morrendo, assim, os pastorinhos Francisco e Jacinta, ficando apenas a Irmã Lúcia que depois disto entrou para um convento, onde fez votos perpétuos e jurou para si mesma que não diria a ninguém o que a Virgem lhe dissera por último naquele dia marcante.

Alguns anos mais tarde, estando às portas da morte, para que o segredo não fosse perdido esta optou por escrever o segredo num papel e lacrá-lo dentro de um envelope e enviá-lo para o Papa que optou, depois de o ler, escondê-lo na sala do Santo Ofício, para que ninguém tivesse acesso a esse documento. Uma das exigências da pastorinha foi que o documento escrito por esta só se tornasse público depois de mil novecentos e sessenta, mas só em dois mil, depois de o Papa João Paulo II tomar conhecimento do mesmo, é que o Cardeal Ratzinger foi encarregue de redigir um comunicado a explicar o terceiro segredo que dizia que no final da segunda grande guerra aconteceria uma coisa terrível sendo esta o extermínio de toda a população católica entre o qual o próprio Papa. E desfaz-se assim as especulações apocalípticas à volta do terceiro segredo de Fátima.

Neste livro temos também bem demarcado um tema bem recente que retrata a sucessão de João Paulo II pelo Cardeal Ratzinger, sendo agora o Papa Bento XVI.

Opinião:

Este livro é extremamente importante para que nós, cristãos, percebemos o que de errado fez e vai fazendo a Igreja e a nossa Religião até aos dias de hoje. O pouco que mostrei deste livro demonstra-nos que nunca poderemos ser cem por cento católicos, pois os segredos que esta religião oculta não nos deixaram conhecer por completo a mesma.

Sem comentários: